Adaptador de Conector de Expansão para os CP200 e CP200S

Em 20 de Abril de 2015

O amigo Ernani Cioffi fez os adaptadores para que o CP200 e CP200S pudesse rodar com as interfaces projetadas pra micros que seguem o barramento padrão do ZX81. O texto abaixo e fotos são do Ernani e estão reproduzidas aqui com a autorização dele.



Se não quiser ler um monte de sentimentalismo, pule pra parte técnica.

Minha história com computadores começou antes que eu tivesse um. Eu sempre fui ligado em eletrônica, tanto que fiz parte do técnico em eletrônica mas por motivos alheios à minha vontade, não pude completar. Mas aí eu já estava contaminado. Comprava Eletrônica Popular, Antenna e depois Saber Eletrônica e Nova Eletrônica.

Daí pra sair montando qualquer bobagem que saía nas revistas foi um pulo. Na maioria das vezes era preciso esperar a edição subsequente pra conferir a "errata" e tentar fazer funcionar os projetos. Cheguei até a ir na redação da Saber Eletrônica no bairro do Pari, porque um projeto de bateria eletrônica que eles publicaram tinha tantos erros que só falando diretamente com quem escreveu. E deu certo, a tarde que eu passei lá foi suficiente pra que todos os bugs da bateria eletrônica fossem descobertos.

E de repente a Nova Eletrônica aparece com um tal de NE Z80 que els chamava de "computador pessoal", que serviria para "estudos matemáticos", e "lazer para toda a família". Já fiquei de olho arregalado...

Em seguida, o NE Z8000, com expansão de memória e tudo. E já começava a aparecer um tal de TK83, que pelas fotos parecia grandão mas quando fui ver, me decepcionei, ele cabia na palma da minha mão...

Mas o que importa é que eu sempre ia na Santa Efigênia. E na rua Aurora, travessa da Santa Efigênia ficava a Filcres, que era a porta para o público da editora Editele que publicava a Nova Eletrônica. Eu ia lá e via o tal NE Z8000 ligado, com uns programas de demonstração absolutamente bobocas mas eu ficava fascinado.

Um dia vou comprar a minha Nova Eletrônica do mês e na capa tinha uma novidade linda: o lançamento do CP200! Um computador com a forma que eu esperava que um computador tinha que ter. Um teclado, uma caixa desenhada pra ele, estava tudo lá!

Mas... A vida nos traz surpresas... Eu "precisaria" casar... É, entenderam...

Bom, minha vida virou de ponta cabeça, só tinha um pouco de tranquilidade quando pegava uma Nova Eletrônica ou uma Microhobby e ficava estudando os programas em Basic...

Mas... A vida trás mais surpresas ainda... Eu não estava mais casado, e descobri que eu poderia retirar a grana do meu PIS que eu não tinha retirado quando casei.

Não tive dúvida. Comprei o Primeira Mão, procurei um computador que minha grana desse. Comprei um TK85 usado mas limpinho.

A história, a partir daí foge da idéia desse texto. O que acontece é que o computador que me fascinou primeiramente foi o CP200. Não foi o TK83 ou o TK85 ou o CP200s. Foi o CP200 velhão.

E agora com a possibilidade de uma interface de carregamento a partir de um pendrive como a feita pelo amigo Victor Trucco, fiquei chateado de ver que só o TK85 além dos originais Sinclairs ingleses seriam convidados pra festa.

Ah, não! No meu turno, não. Agora começa a parte técnica do artigo:


Parte técnica:

O Victor Trucco lançou o Blue Drive. Mas já avisava: funciona com o TK85 e os que tivessem o barramento padrão do ZX81. (Só do ZX81, do ZX80 ele não funcionaria, depois explico)

Perguntaram pra ele: "e o CP200?". Ele respondeu ironicamente: "CP o quê?".

Fui procurar o motivo do esculacho. E descobri.

Não sei onde o pessoal da Prologica estava com a cabeça quando fizeram os CP200. São três modelos de placas do CP200. A primeira é o que se pode chamar de esquizofrênica. Não tem vários sinais obrigatórios além de não ter os 5V para alimentar qualquer tipo de expansão. A segunda é parecida, mas já tem todos os sinais necessários. A terceira, pelo contrário, tem todos os sinais necessários na posição correta e mais 4 extras e supostamente inúteis.

Então, depois de fazer uma pesquisa que envolveu vários amigos das listas como o Clóvis Friolani, o Leonardo Roman, o Daniel Danjovic e eu mesmo, cheguei ao nome das placas: a Spock, do primeiro CP200, a Placa 15 que foi usada nos últimos modelos do CP200 e nos primeiros modelos do CP200s e a Placa 18 que foi instalada nos últimos modelos do CP200s.



"Spock"



Placa rev.15



Placa rev.18


Nosso colega Daniel fez um gráfico que mostra claramente a posição dos pinos nos barramentos.

Warning: imagejpeg(): Unable to open 'barramentos cp200_t.jpg' for writing: Permission denied in /home/panet/victortrucco.com/funcoes.php on line 111




Vamos do mais fácil para o mais difícil:

A Placa 18

A mais fácil. Só é preciso fazer o corte de encaixe do Blue Drive. Todos o pinos estão no lugar certo, é só ignorar o último pino de cada extremidade.


Apesar da pinagem ser a mesma, dependendo do "formato" da interface ela pode não encaixar por causa do gabinete do CP, que tem o conector um pouco mais distante da borda se comparados com outros clones do ZX81. Nesse caso bastaria uma plaquinha adaptadora pino a pino, apenas para extender um pouco o conector.

A placa 15

No barramento original do ZX81 e também do TK85, nada bate com o barramento da placa 15. Não tem jeito, é preciso fazer um adaptador.






Vai ser preciso um conector edge que é facilmente encontrado em placas de PC antigas que tenham conectores ISA. Eu recomendo fortemente que este conector seja cortado na medida certa do barramento do CP e uma "ponteira" seja colada no lado aberto, fazendo um conector fechado, evitando assim que o ele possa ser encaixado errado. Eu usei a própria lateral que sobrou do conector edge, cortando essa ponta na medida exata. Colei com Super Bonder e ficou perfeito.






O adaptador não tem segredo, é só estender os terminais, tanto do barramento do CP, quanto do conector do BD (BlueDrive, pra facilitar). Depois é só seguir a tabela dos barramentos com muita atenção e fazer a soldagem de fios finos, de preferência AWG 30, os tais "fios de desbloqueio", senão vai ficar um pacote de fios monstruoso. No caso do BD o consumo é muito baixo, mas para o uso de outras interfaces talvez seja uma boa idéia colocar fio um pouco mais grosso (diria por exemplo AWG 26, o mesmo de cabo flat) nas voltagens e no Terra para não correr o risco do fio fino demais não aguentar. Para os demais sinais, sem problema, podendo ser AWG 30 mesmo. Revise bem, principalmente as ligações do 5V e do Terra. No CP o 5V fica em dois pinos em baixo da placa e o Terra fica em quatro pinos do lado dos componentes.






Confira mais uma vez as ligações usando um multímetro como seguidor de sinais. Ligue o micro apenas com o adaptador conectado e não tendo nenhum tipo de curto vai aparecer 0/0 em branco num lindo fundo preto.






Bom, vamos pra placa mais complicada.

A placa "Spock"

Parece que quem fez essa placa estava com pressa de entregar o trabalho logo. O barramento é inacreditável. Não tem 5 sinais do barramento original do ZX81: 9V, 5V, /NMI, RST, /ROMCS além do /RAMCS que está em lugar errado. A falta do /ROMCS mostra que provavelmente esse CP foi baseado no ZX80 e não no ZX81, porque o ZX80 também não tem o sinal /ROMCS. E isso quer dizer que o BD também não funcionaria no ZX80. Os outros sinais estão disponiveis na placa do CP, apenas não ligado no barramento, com exceção do /ROMCS.

Nosso gênio de plantão, Victor Trucco a meu pedido, pesquisou, levou incríveis 3 minutos e "criou" um sinal /ROMCS. O esquema é este:






O importante no esquema acima é apenas o resistor, indicado por R1, que precisa ser adicionado. As demais ligações já estão presentes e são apenas ilustrativas. Eu cortei uma trilha perto do 74LS157 e soldei o resistor de 470 ohms. Liguei, tudo funcionou normal.






Mas e então, o que fazer? Um adaptador normal e um conector extra com os sinais faltantes?

Que nada! Vamos transformar o barramento da placa Spock no barramento da placa 15!

O 9V não liguei por não ser usado com o BD, mas é uma boa idéia ligá-lo se você pretende usar com outras interfaces, a exemplo da ZXPand que retira a alimentação a partir do 9V.

Vejam o gráfico dos barramentos. Vamos trocar a posição do /RAMCS do pino 3 superior para o pino 24 inferior. Corte a trilha e reafaça a conexão.






Em seguida, os 5V. Qualquer último pino de qualquer 74LS presente na placa do CP tem 5V, escolha um próximo, solde um fio nesse pino e nos terminais 20 e 21 do lado inferior do barramento.

Siga o esquema do Victor e solde um fio no ponto na junção dos pinos 20 das eproms e o resistor de 470 ohms e dai para o terminal 22 inferior do barramento.

Os últimos sinais, /NMI e /RST vêm direto do Z80






/NMI no terminal 2 superior e /RST no terminal 1 superior.






O que temos agora? uma placa Spock exatamente igual a uma placa modelo 15. Agora simplesmente você precisa de um adaptador já descrito acima e pronto. BlueDrive funcionando no CP200!

Uma grande vantagem é que quem, como eu, tiver os dois modelos, o CP200 placa Spock e o CP200s, placa 15, pode usar o mesmo adaptador.

Quero agradecer a gentileza de nosso amigo Victor Trucco que além de ceder este espaço para a divulgação dessas modificações, emprestou um pouco de sua genialidade "descobrindo" um sinal que nem o pessoal da Sinclair tinha descoberto antes do ZX81.

Ernani Cioffi



Vídeos





Agradeço ao Ernani Cioffi pelo material e artigo explicando todas as diferenças dos modelos de CP200 e parabenizo pelo esforço e sucesso na elaboração do adaptador.

Dúvidas, sugestões? Use o espaço abaixo.


Voltar - Home


Comente



COMENTÁRIOS DESABILITADOS NO MOMENTO! RETORNAM EM BREVE
É expressamente proibido a reprodução total ou parcial deste texto sem a minha devida autorização por escrito.