A divIDE

Em 26 de Abril de 2011.








Nota do autor: ATENÇÃO, este review já é antigo e a informação que a interface não funciona nos TKs nacionais já não é mais válida. Veja os artigos Modificando a divIDE para funcionar no TK90X e A divIDE Blue.



Um hardware ainda pouco conhecido, pelo menos aqui na terrinha, é a divIDE. O autor oficial dela foi o Pavel "Zilogator" Cimbal no começo de 2000, mas em cima do projeto ZX-IDE do Pera Putnik de 1998. Ela promete ser uma interface IDE para conectar os "modernos" HDs, CD-ROMs ou até mesmo DVDs aos Spectrum-compatíveis, mas seu uso mais comum é mesmo com cartões Compact Flash (CF), por serem menores e emularem perfeitamente o padrão IDE. Aqui entre os TKzeiros ela sempre foi evitada, por ser incompatível com nosso hardware. No entanto, a teimosia (ou seria perseverança?) falava mais alto e eu tinha que testar por mim mesmo. Fiz então uma verdadeira rodada de testes com todas as versões fáceis de encontrar da divIDE e com vários micros ZX compatíveis que eu tinha em casa. O resultado vocês podem ler a partir de agora.


Aqui, todas as versões que eu tenho. Da esquerda para a direita temos a 0.57c com GAL "R2", a divIDE Plus, a diwIDE e a 0.57c com a GAL "R".

OS HARDWARES

a) 0.57c com a GAL "R"


Foi a primeira versão que se tornou realmente popular. Essa minha eu comprei através do amigo Marcus Garrett que, se lembro, comprou de um amigo inglês. Na parte de trás dá pra notar o "número de série" escrito à mão, 036. O projeto e o layout da placa são do próprio Zilogator e foram divulgados originalmente no site dele.

b) 0.57c com a GAL "R2"


Essa é a mais comum hoje em dia, a que é vendida nos EBays da vida. Veio nova, depois de um mês de espera, comprada num site da Republica Tcheca e tem o número de série 196. Apesar do hardware ser exatamente o mesmo da anterior, as GALs, chips de lógica programável, receberam uma atualização para aceitar o modo ALLRAM. Nesse modo é possivel ter um programa no endereço 0000h, ou seja, cobrindo a ROM do equipamente e inclusive com proteção contra escrita. Isso seria particularmente útil para algum tipo de debug ou teste com um arquivo de ROM por exemplo ou mesmo para total substituição do "Sistema Operacional" do ZX. Como é em RAM, a mudança não é permanente, bastando desligar e ligar novamente o equipamento para voltar a condição anterior.

c) diwIDE


Essa foi meio por acaso e de longe é a mais rara das versões, pouquissímas foram produzidas. O Nelson Gomes, a principio tinha me dito que se tratava de uma divIDE Plus (que eu ainda não tinha na época) e quando chegou por aqui tive a grata surpresa de ser a diwIDE. Esta foi criada por Jarek Adamsk em 2006 que acreditava que poderia melhorar a divIDE original. Com mais memória que a original ela poderia vir opcionalmente com slot de cartão CF no lugar do tradicional conector IDE 40 pinos.

d) divIDE Plus


Jarek levou a diwIDE para o próximo nivel e em 2008 nascia a divIDE plus, considerada hoje a "Ferrari" das divIDE, contando com 512kb de memória flash ROM, 512k de memória RAM, slot para CF e slot IDE e ainda emula os modos divIDE "antigo" e MB02. As vezes o pessoal da RWAP faz lotes e o ultimo saiu a 72 libras + envio internacional. Tem que ficar esperto para conseguir uma, mas não chega a ser uma raridade, basta ter paciência que se consegue.

OS CARTÕES CF


Os cartões Compact Flash que testei foram ambos de 1Gb, com conversores CF->IDE. Tanto os cartões como os conversores foram razoavelmente fáceis de encontrar no centro do Rio de Janeiro. Várias pessoas "lá fora" usam variados adaptadores e até SD->IDE ou mesmo Sata->IDE também parecem funcionar bem, segundo postagens em fórums que frequento.


Os cartões foram formatados no padrão FAT pelo próprio Windows, usando um adaptador USB com suporte a multiplos cartões de memória. Dividi os arquivos em pastas e dentro dessas os arquivos dos jogos que foram baixados diretamente do World of Spectrum e coloquei exatamente o mesmo conteúdo em ambos os cartões.

OS SISTEMAS OPERACIONAIS

Falar em divIDE sem explicar os diversos sistemais operacionais, seria um crime. Existem MUITOS e cada um tem seus prós e contras. Listei-os e passei as principais características de cada um.

a) FATware

Foi o primeiro S.O. para a divIDE e foi desenvolvido pelo Baze (não sei se é o nome dele ou apelido, não encontrei referências) e ao que tudo indica ele trabalhou com o Zilogator simultaneamente durante a criação da interface. A única versão lançada para o público é a 0.12, que posteriormente recebeu alguns patches que aumentaram a sua compatibilidade. O Baze fez a promessa no final de 2009 de abrir o código fonte e chegou até a criar a página no Source Forge, mas até hoje nada foi publicado.

Seu ponto alto é a facilidade de uso. Além de suportar diretamente o sistema FAT(16) do Windows, aceita nomes longos para os arquivos. Pressionando o botão NMI da interface abre-se o menu com os arquivos para a seleção e tudo é controlado pelas setas cursoras do teclado. A grande desvantagem é não suportar arquivos do tipo TZX que são os preferidos hoje em dia, por manterem todas as características originais da fita cassete. Temos suporte somente a TAP, Z80 e SNA.


A facilidade no uso é muito grande. Nos arquivos .Z80 e .SNA, basta dar um ENTER que o jogo é carregado.


Já os .TAP, quando o ENTER é pressionado, volta para o Basic e então basta dar o commando LOAD"" como se faria numa fita cassete. Isso é possível porque o FATware emula um gravador e sempre que ele encontra uma requisição para a porta, a desvia para o cartão CF. Funciona inclusive com jogos multi-carregamento, aqueles que você joga uma fase e carrega a próxima da fita.


Video-GIF, cortesia do Velesoft.


b) ResiDOS

O ResiDOS é um S.O. hoje em dia muito estável porque vem sendo desenvolvido pelo Garry Lancaster desde 2002 e as atualizações costumavam ser frequentes até a última em 2009. Originalmente foi desenvolvido para seu usado na interface ZXATASP do Sami Vehmma, mas logo ganhou várias versões e entre elas para a divIDE Plus. O grande ponto alto desse sistema é a alta compatibilidade com todos os arquivos de jogos, inclusive suportando os TZX. Uma outra aplicação bem interessante é o sistema de "multitarefa". Bem, não é uma multitarefa de verdade, mas com os 512k de memória da Plus é possível manter até quatro programas rodando na memória e ir chaveando entre eles. Fica um rodando, enquanto os outros três ficam pausados na memória. Para chavear, basta clicar no NMI voltando ao ResiDOS e com um comando chavear a próxima aplicação. O mais incrível é que funciona. ;) E como se isso fosse pouco, o sistema vai além: você pode gravar qualquer uma dessas tarefas no CF e voltar a elas depois. Mas espere, o ResiDOS ainda não acabou... Emulador de ZX81 embutido! Sim, você pode carregar diretamente os arquivos .P. Porém, nesse caso, requer um Spectrum 128.

A grande maioria dos comando são iniciados pelo simbolo "%" e com isso eles devem ser digitados letra a letra. A navegação dos diretórios é semelhante a outros sistemas operacionais em modo de console e com o comando "%tapein" se seleciona o arquivo TAP ou TZX para o "emulador" do gravador. Já o comando "%snapshot" carregario um arquivo Z80 ou SNA.

Bem, agora as desvantagens: é um sistema "faminto", portanto só roda na divIDE Plus que tem 512kb de memória. Pra falar a verdade, rodaria também no mod de 512k da divIDE original criado pelo Velesoft. Mas eu achei o mod meio confuso e não testei até hoje. A outra desvantagem é que tudo é digitado, ao contrário do FATware. Não é necessáriamente uma desvantagem, já que quem usa Beta 48 passa pelo mesmo trabalho, mas que o FATware é bem facinho, isso é.







c) Demfir (DTP's Emulator Files Runner)

O Demfir é um sistema que foi criado pensando em CD-ROMs, mas pode ser usado no cartão normalmente, bastando para isso que se crie arquivos .ISO e dentro desses arquivos os jogos. Na verdade mesmo, você poderia ter um único arquivo ISO com todos os jogos dentro sem problema. Assim como o ResiDOS, o Demfir também funciona com os TZXs, além dos TAP, Z80 e SNA. Num primeiro momento o que parece ser bem confuso de ser usado, fica apenas na impressão inicial, porque ele é tão fácil quando o FATWare depois que se aprende o básico. O ponto alto aqui são os cheats, arquivos .POK, que adicionam pokes de vidas infinitas, invunerabilidade, etc e ficam disponiveis em um menu no momento do carregamento do jogo. Uma outra vantagem é você poder posicionar o "cabeçote virtual" do gravador para começar em qualquer bloco facilmente através das teclas cursoras no momento da seleção do TAP ou TZX.








Video-GIF, cortesia do Velesoft.


d) +DivIDE

Esse é uma versão do GDOS, presente na interface Disciple/+D. Trabalha diretamente com as imagens dos discos da Disciple numa espécie de Emulador de Drive e pelo que parece é bem fácil de conseguir essas imagens já prontas para uso, bastando apenas colocá-las no cartão.
Video-GIF, cortesia do Velesoft.


e) MDOS

Mesmo caso acima, também trabalha com imagem de discos, porém nesse a interface é a Didaktik Kompakt.
Video-GIF, cortesia do Velesoft.


f) BS-DOS

Também como as duas anteriores, porém essa é da interface MB02+. A grande diferença aqui é que ela formata o cartão em formato proprietário e utilizando uma pequena ferramenta no PC você pode transferir os arquivos de jogos para o cartão.
Video-GIF, cortesia do Velesoft.


g) ESXDOS

Esse todo mundo achou que ia virar vapor, mas o pessoal do Papaya Labs cumpriu a promessa de lançar o seu S.O. novo para a divIDE. A primeira vez que ouvi falar dele foi em 2005, num fórum gringo e depois de alguns atrasos e vários adiamentos, finalmente no natal de 2009 saiu a primeira e única versão dele por enquanto. Apesar de ser beta, o S.O. é bastante usável e não fica muito a dever aos outros sistemas aqui listados. Destaco a compatibilidade com os TZX, mas a grande sacada foi os caras colocarem os comandos externamente em arquivos gravados no cartão. Na prática qualquer um poderia escrever por exemplo um novo comando CAT, colocar no diretorio dos comando (pasta /C) e já funcionar, sem nem precisar rebootar.

O funcionamento é bem semelhante ao resiDOS, então quem já tem alguma intimidade vai conseguir usar sem nenhum esforço. Merece também um comentário por ser o primeiro dos Sistemas da divIDE que suporta além do FAT16, o FAT12 e FAT32. Porém, somente permite escrita no FAT16, ficando os outros somente para leitura. As principais desvantagens: ele não suporta nomes longos de arquivo e alguns TZX mais "complexos" ainda não funcionam. Bem, está ótimo para a primeira versão, mas se vai sair outra, o tempo dirá.




h) TR-DOS

O Velesoft, hoje com certeza a maior "autoridade" que eu conheço em termos de divIDE, está desenvolvendo esse S.O. A promessa é emular diretamente os discos .TRD da Beta 128, sem trabalho algum para o usuário e sem nenhum tipo de conversão. Vai ser o caso de pegar os arquivos, jogar no cartão em modo FAT e usar. Pra nós acostumados com a Beta 48, vai ser bem tranquilo de usar. Ainda sem data definida para terminar, mas esse eu estou de olho. ;)
Video-GIF, cortesia do Velesoft.


GRAVANDO OS FIRMWARES

Bem, temos vários Sistemas Operacionais, mas como vamos trocar entre eles?

No caso da divIDE Plus, por mais 5 libras você pode levar o programa para seleção dos diversos Sistemas. É uma boa idéia adquiri-lo porque facilita MUITO a troca, simplesmente pressionando a tecla "1" no momento do boot.



Já para a divIDE antiga o Velesoft desenvolveu um firmware similar ao da Plus com a mesma fucnionalidade
Video-GIF, cortesia do Velesoft.


Fora esses, sempre nos resta a opção original, que é fazer o "flash" da memória da interface, trocando o S.O. Esta operação é meio "perigosa", porque se travar no meio ou se faltar energia elétrica, a única maneira de se reviver a divIDE seria regravando o CI num gravador de EPROM. Se bem que hoje em dia muita gente tem, então se fosse o caso era só pedir ao seu amigo "da eletronica" para regravar o chip.




AS MÁQUINAS

Os equipamentos que testei foram:
- ZX Spectrum 16kb
- ZX Spectrum 48kb
- ZX Spectrum 128 +2 (cinza)
- ZX Spectrum 128 +2 (preto)
- ZX Spectrum 128 +3
- TK128
- TK90X com rom de Spectrum (o TKPlus)
- TK90X
- TK95

Com exceção do TK128 que é um mod meu e do TKPlus, os outros equipamentos são originais e sem nenhuma modificação.

OS TESTES

Os primeiros a serem testados foram os cartões CF. Eu já tinha ouvido falar de uma certa incompatibilidade com alguns cartões, então eu tinha que ter certeza antes de começar.

O cartão Kingston aparece no sistema como um "Hitachi", porém durante a listagem dos arquivos tudo aparece corrompido. Não consegui nenhuma combinação de hardware em que ele ficasse funcional, infelizmente. No entanto, no PC e em cameras fotográfocas ele funciona normalmente.




O cartão Dane-Elec foi reconhecido apenas como "CF 1gb" e funcionou perfeitamente.


A explicação do Dane-Elec ter funcionado e o Kingston não, eu li por alto num fórum. Seria devido a diferença da velocidade de acesso entre os dois cartões e no caso da divIDE, quanto mais lento, melhor.

Como o Kingston não funcionou, portanto todos os testes restantes foram feitos utilizando somente o Dane-Elec.



a) Spectrum 128 +2 (cinza)



Aqui é a qual eu considero a melhor combinação do mundo. O Spec 128 cinza é perfeito para ser usado com qualquer uma das divIDE e sua compatibilidade é muito alta. Absolutamente NENHUM jogo dos que eu tentei, deixou de funcionar. Bem, na verdade os jogos da Ultimate requerem um passo extra que é colocar o comando OUT 253,48 antes do LOAD"". Isso serve para bloquear o chaveamento dos bancos de memória no 128. É bem comum nos jogos da Ultimate e provavelmente se algum outro jogo não funcionar (apesar de eu não ter achado nenhum), dar o comando OUT antes é uma boa tentativa.




b) Spectrum 16kb e Spectrum 48kb



Juntei as duas versões, o Spec 16 e o 48 por serem muito parecidos e terem a mesma compatibilidade. Os dois funcionam bem, porém com um indice de compatibilidade ligeiramente menor. Nada alarmante, e que provavelmente seria resolvido baixando uma outra versão do mesmo jogo. O que incomoda um pouco é que os menus do FATware são controlados pelas setas cursoras, então no caso desses que não tem teclas separadas, controlamos o menu com CapsShift+6 e CapsShift+7.

Também merece uma citação que no primeiro Spec 48 que peguei do meu estoque, nenhuma divIDE funcionou, indicando alguma incompatibilidade com o hardware. Como ele funciona normalmente sem a interface conectada, não sei dizer o motivo do problema. Talvez a versão da placa do Spec ou algo desse tipo. Como o segundo que peguei funcionou perfeito, estudarei o problema numa próxima oportunidade.

Quanto ao Spec 16, funcionou perfeitamente também, mas logicamente suportado somente os jogos de 16kb.




c) Spectrum 128 +2 (preto) e Spectrum 128 +3



Esses Specs, como todos já ouvimos falar, são um pouco incompatíveis com as versões originais, mas os testes até me surpreenderam! No início eu achei que não estava funcionando, então lembrei que para o FATware bootar nesses micros é necessário fechar um jumper nas interfaces.


Achava que muito poucos jogos iriam funcionar, mas até que a compatibilidade é bem razoável e até os jogos da Ultimate funcionam com o mesmo comando OUT já falado.


Já alguns jogos bem comuns como o "Popeye" simplesmente não funcionam. Talvez por serem mais antigos?




d) TK128

Um teste que eu não poderia deixar passar era no TK128. Apesar dele ser um clone completamente funcional do 128, como ele iria se comportar com o hardware? Já sabia que ele funciona bem com a Beta 128, então havia uma chance!


É, decepção... Não funcionou com nenhuma das interfaces e apenas na divIDE Plus chegou a reconhecer o cartão, mas mesmo assim me dava um menu todo corrompido. Infelizmente, não foi dessa vez.

e) TK90X com ROM de Spectrum (TKPlus)



Apesar da carcaça ser um Spectrum Plus, esse é o meu TKPlus (resumindo, um TK90X com ROM de Spectrum). Comecei testando a divIDE Plus com o FATWare, mas além de não detectar o cartão, não bootou, ficando travado naquela tela listrada da foto abaixo.


Já quando troquei para o ResiDOS, o sistema funcionou quase que perfeitamente, porém não detectou o cartão, então não se podia fazer grandes coisas. Talvez com um HD ao invés do cartão CF poderia ter funcionado.


Já com a divIDE com GAL "R" ele identifica o cartão, mas trava no momento do boot numa tela listrada. Apesar disso o menu do FATware fica funcional, mas mesmo tentando imagens Z80 o jogo trava logo após o carregamento.





Pra não dizer que tudo foi em vão, usando o Sistema Demfir foi possível carregar algumas poucas imagens Z80 o que significa que não é completamente incompatível, porém o custo da interface nem de longe vale o investimento, porque foram realmente poucas as imagens que funcionaram (menos de 50% das que eu testei). Talvez se gravar a imagem Z80 de cada jogo que não funcione num outro ponto, possa ser que passe a funcionar, mas a essa altura já estamos nas suposições.

f) TK90X e TK95

Agora realmente o que todo mundo quer saber... Funcionaria com alguma combinação de hardware nas nossas máquinas nacionais?





Infelizmente não foi dessa vez. Nem ao menos o menu eu consegui com qualquer combinação de hardware. É provavel que nossas ROMs sejam completamente incompatíveis, mesmo.


VEREDITO

A divIDE é uma excelente aquisição mas infelizmente só funciona a contento nos Spectrums ingleses. Dessa leva de testes, destaco a divIDE Plus funcionando no Spectrum +2 Cinza: alto grau de compatibilidade (tudo que testei funcionou), aliada a quantidade de jogos (simplesmente todos os jogos que existem de Spec) e com o "plus" de ter um seletor de Sistemas Operacionais. Também um pontinho extra por ter o ResiDOS que eu sou fã incondicional.

Mesmo para quem tem ao menos um Spectrum 48 não ficará desamparado com uma divIDE 0.57 e ainda poderá carregar com facilidade os seus joguinhos. Só mesmo nas nossas máquinas nacionais é que "ficamos a ver navios".




Se alguem tem alguma sugestão ou dúvida, deixe seu comentário no espaço abaixo.


Voltar - Home


Comente



COMENTÁRIOS DESABILITADOS NO MOMENTO! RETORNAM EM BREVE
É expressamente proibido a reprodução total ou parcial deste texto sem a minha devida autorização por escrito.