O Spectrum +3e CF

Em 10 de Agosto de 2011

Desde que comprei meu primeiro Spectrum +3, sempre tive vontade de fazer um mod para substituir o drive de 3 polegadas por algo mais usável hoje em dia, como por exemplo colocar um Emulador de Drive embutido direto no gabinete. Por absoluta falta de tempo, nunca cheguei a fazer, mas ei que surge a oportunidade através do amigo Alvaro Gamelas quando ele me pediu um mod no micro dele. A princípio pensamos em colocar o Emulador de Drive, mas depois de uns poucos testes não consegui faze-lo funcionar e sugeri o projeto +3e do Garry Lancaster, também criador do excelente ResiDOS para Spectrum.

Falando resumidamente, o +3e é um conjunto de ROMs que possibilitam o uso de uma interface IDE no Spectrum. Além da conhecida divIDE também é possível usar a simplíssima "8 bit interface" do Pera Putnik. Apesar de funcionar bem, a característica principal dessa interface é que ela corta a capacidade do disco pela metade. Se pegarmos uma HD de 4 Gb por exemplo, você só poderá usar 2Gb dele. Eu pessoalmente não vejo grande problema nisso, porque provavelmente tudo que existe para Spectrum caberia em 1 ou 2 Gb.

Comecei, logicamente, desmontando o Spec. O Alvaro me mandou sem o drive original, que não serviria para nada e só encareceria o preço do Correio.


Logo de cara, pra não esquecer, "desinverti" os fios do +5V e do +12V. Comparando com uma fonte de PC normal, esses fios estão invertidos. ATENÇÃO: o fio vermelho aqui é o +12V e o +5V o laranja. Com uma chave de fenda fina, só fazer uma alavanca no plástico e puxar o fio. Dai basta deslizá-lo no buraco para ele prender novamente.





Agora é fazer o Video Composto. Comecei removendo a caixa do modulador para facilitar a retirada da placa lá de dentro. Nessa versão de placa-mãe é preciso um pequeno circuitinho usando diodos, transistor e resistores para o Video funcionar a contento e imaginei montar o circuitinho novo dentro da caixa do modulador para ficar mais elegante.


O esquema é o mesmo que eu adotei no Tunando o Spec 128. É bem simples de montar e eu fiz num pedaço de placa universal.


Além de todo o conjunto do modulador de RF também é necessário remover o capacitor C24 da placa. Ele é responsável por mixar o som à imagem antes da geração do RF. Se ele não for retirado, dá interferencia no sinal de video composto.


Imagem perfeita em Video Composto! Lembrando que ele continua em PAL, mas por sorte meu monitor se dá bem com o sistema.


Agora é a saída de som. Eu coloquei os plugs bem a esquerda na parte de trás do Spec. Primeiro marcando os pontos e depois furando com uma broca pequena e em seguida com a definitiva. Desse jeito não se estressa o plástico e não tem perigo de quebrar.


Fiz o cabeamento com um fio comum bitola 30, porém o ideal teria sido utilizar um cabo duplo blindado, estilo usado em fone de ouvido. Na ponta, um pedaço de barra de pinos fêmea para facilitar o encaixe no conector da placa mãe.


Para o conector de saída eu usei um preço uma barra de pinos "90 graus". Bem na borda da placa existe um espaço grande que pode acomodar com facilidade nossa saída. Marcando os furos e utilizando broca de 1 mm foi bem simples de colocar o conector. Aquela trilha grossa da foto é um Terra, que eu soldei no pino central do conector e cada um dos pinos laterais vai a um "canal" de som do Spec. Na verdade um dos RCAs ficaria com o som da ULA, enquanto o outro recebeu o PSG.





Primeiro o caso é separar os dois canais, que são mixados para virar RF lá na frente. Basta cortar com um estilete a trilha ligando o C40 ao C38. Veja nas fotos.


Agora vamos ligar o conector de saida. Infelizmente não existe um ponto próximo, então o caso foi puxar um fio por baixo da placa,ligando um pino do conetor ao C40 e o outro ao C38. O pino central foi ao Terra, conforme já tinha dito. Não ficou nada bonito. :(


Bem, agora é a interface IDE. O melhor lugar para ligá-la é no conector do próprio Z80 que tem todos os sinais que precisamos presentes. Como o conector original não é lá grande coisa e passível de mau-contatos, troquei com um torneado de boa qualidade.


O projeto +3e consiste num conjunto de ROMs de acordo com a interface que estamos usando. No meu caso utilizei as ROMs em inglês para a interface do Pera Putnik.


Num rápido teste, constatei que os chips estavam gravados corretamente e o +3 funcionava normalmente com as novas ROMs.


Fiz uma plaquinha que, com alguma habilidade, pode-se fazer em casa. Você pode pegar a versão pronta para impressão neste link.


O layout indica a montagem da placa. Preste atenção nos "jumpers" que estão marcados em vermelho na imagem acima. É apenas um pedaço de fio unindo os dois pontos.


Com a placa montada, ao testar o encaixe percebi um problema adicional: não daria para ligar o LED de power novamente na posição. Troquei então o conector por um semelhante ao que usei no áudio, 90 graus.


Agora sim, pronto para ser usado!


Para os testes iniciais, usei um adaptador CF->IDE diretamente conectado à interface.


Após particionar e formatar o cartão seguindo as instruções na página do +3e, digitei e gravei um pequeno programinha no cartão.


Tudo 100% funcional, então é preparar para fechar tudo. A idéia é colocar o CF no lugar do drive original para ficar rápido e prático para levar o cartão até o PC. Primeiro a "tampinha" da frente.





Não tive nenhuma inspiração para juntar a tampinha à interface de um jeito bom, então apelei para a cola epóxi (estilo Araldite). Num pedaço curvo de plástico colei a parte de baixo da interface...


...que juntei a tampa, colando também com epóxi. Não foi lá uma solução incrível, mas o resultado final foi muito firme, resistindo bem ao movimento mecânico de tirar e colocar o cartão.





Depois foi o caso de ligar um cabo comum IDE, até a placa da interface.


Aqui o Spectrum 128 +3e CF completamente montado.


Agradeço ao Alvaro pela oportunidade.

Dúvidas, sugestões? Use o espaço abaixo.


Voltar - Home


Comente



COMENTÁRIOS DESABILITADOS NO MOMENTO! RETORNAM EM BREVE
É expressamente proibido a reprodução total ou parcial deste texto sem a minha devida autorização por escrito.